VISITA PASTORAL Á PARÓQUIA DE S. MIGUEL DE ANREADE

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 09:24

NOTÍCIA DA VISITA PASTORAL PUBLICADA NO JORNAL
 “VOZ DE LAMEGO”

VISITA PASTORAL DE SUA EXCELÊNCIA REVERENDÍSSIMA, O SENHOR BISPO DE LAMEGO, D. ANTÓNIO JOSÉ DA ROCHA COUTO, À PARÓQUIA DE S. MIGUEL DE ANREADE, DA ZONA PASTORAL DE RESENDE.

Quero com esta visita pastoral, dar o meu contributo para que todos possam verdadeiramente sentir a alegria de Evangelizar.
(excerto da mensagem de D. António Couto às comunidades da zona pastoral de Resende)

NOTA:
Quem  desejar ver mais fotos de reportagem das celebrações, abra a página da paróquia no facebook, no seguinte endereço: www.facebook.com/paroquiadeanreade



Nos dias 17, 18 e 19 de Março, a paróquia de S. Miguel de Anreade recebeu, com muita alegria, a Visita Pastoral de Sua Excelência Reverendíssima, o  Senhor Bispo D. António José da Rocha Couto, venerando Bispo da Diocese de Lamego.

No espírito da mensagem cujo excerto foi acima transcrito e depois de uma preparação próxima de toda a comunidade paroquial de S. Miguel de Anreade, esta visita, inserida num calendário de visitas pastorais às paróquias da Zona Pastoral de Resende e com um programa organizado pelo Conselho Pastoral Paroquial, teve início no dia 17, com a visita domiciliária do Senhor Bispo, acompanhado do Pároco, a cerca de duas dezenas de paroquianos cuja idade avançada ou doença os impedia de participar activa e presencialmente nos encontros e nas celebrações da visita. Assim, percorreu os quatro cantos da freguesia, desde os Altos à Ribeira e de Mosteirô a Caldas de Aregos, concluindo-se as actividades desse dia com um  encontro na Capela de Santa Maria Madalena de Caldas de Aregos, com os paroquianos residentes nesse lugar.

No segundo dia da Visita Pastoral, dia 18 de Março, o Senhor Bispo teve um primeiro encontro com o Grupo Folclórico e Etnográfico de S. Miguel de Anreade, nas instalações do Centro Paroquial, sendo homenageado pelo referido grupo com um antiquíssimo “cramol”, um cantar tradicional e espécime precioso do folclore desta freguesia. De seguida e sempre acompanhado pelo Pároco, deslocou-se à Sede da Junta de Freguesia, para cumprimentar a Assembleia e a Junta da União de Freguesias de Anreade e S. Romão de Aregos. Depois de umas palavras de saudação e boas-vindas da senhora presidente da Junta da União de Freguesias, que se manifestou profundamente reconhecida e sensibilizada pela gentileza de uma visita tão honrosa, e da leitura da acta da reunião extraordinária da Assembleia de Freguesia expressamente convocada para o efeito, Sua Excelência Reverendíssima, foi obsequiado com uma lembrança constituída por uma miniatura de um “barco rabelo”, o campo de trabalho de grande parte dos homens da freguesia, nos séculos passados, como Arrais e Marinheiros, e que, por isso mesmo, faz parte do brasão da freguesia de Anreade. Foi oferecido um “porto de honra” aos presentes, com cavacas e vinho fino produzidos na freguesia.

De regresso ao Salão do Centro Paroquial, sua Excelência Reverendíssima, teve um encontro muito alegre e espontâneo com as 60 crianças da catequese, acompanhadas pelos seus catequistas, pais e mães, tendo reunido a seguir com mais de uma dezena de jovens que se vêm preparando para receber o Santo Crisma. Finalmente, encontrou-se em Assembleia Geral com os cristãos mais comprometidos na vida da paróquia, que servem a comunidade em todos os sectores da vida pastoral, ou seja, na evangelização, na liturgia, na acção sócio-caritativa e no arranjo e asseio da igreja paroquial, juntando-se-lhes outros paroquianos que quiseram participar. Foi um encontro claramente franco e muito frutuoso, com importantes orientações e incentivos para todos os presentes, para o serviço da Igreja e para o trabalho da Evangelização.

No dia 19 de Março, último dia da Visita Pastoral, pelas 15 horas, Sua Excelência Reverendíssima chegou ao adro da igreja paroquial, profusamente engalanado como se impunha, acompanhado pelo Senhor Vigário-Geral, Monsenhor Joaquim Dias Rebelo e pelo Senhor Pró-Vigário Geral, Padre João Carlos da Costa Morgado. Acolhido pela comunidade cristã  reunida no adro, foi cumprimentado especialmente pelos membros do Conselho para os Assuntos Económicos e saudado por um dos jovens que íam receber o Santo Crisma. Nas sua saudação, o jovem chamou-lhe “o Pai que vem confirmar os seus filhos na Fé, o Pastor que vem guiar as suas ovelhas pelos caminhos da Verdade, o Mestre que vem ensinar aos seus discípulos a doutrina da Vida e o Amigo que vem animar os fiéis na sua Caminhada Cristã!”, acrescentando que todos os Crismandos fizeram uma caminhada de catequese desde a Solene Profissão de Fé, agora complementada com algumas reuniões de preparação próxima orientadas pelo pároco, e concluindo que pretendiam ser cada vez mais responsáveis na vivência da fé, na divulgação do Evangelho, no testemunho de Cristo, e no serviço da Igreja.

Homenageado por um ramo de flores entregue por uma criança da catequese, a que se seguiu uma salva de palmas por parte de todos os presentes, deu-se início à celebração Eucarística com a procissão de entrada em redor da Igreja paroquial. Beijada a Cruz Paroquial pelo senhor Bispo à entrada do templo, seguiram-se as cerimónias habituais, tendo 12 jovens da paróquia recebido o santo Sacramento do Crisma.
Animou toda a celebração o Grupo Coral Litúrgico da Paróquia.

No final da celebração eucarística, depois de Sua Excelência Reverendíssima, ter benzido uma nova imagem de S. José para passar a estar na igreja exposta à veneração dos fiéis, o Pároco, Padre Joaquim Correia Duarte, em seu nome e em nome da paróquia,  dirigiu-lhe algumas palavras de saudação e de gratidão, dizendo: “Este dia é inesquecível para a paróquia, pela visita do pastor da Diocese que nos veio ver, ouvir e falar, pelo seu carinho, bondade e simpatia para com todos, pelo seu cuidado em não esquecer ninguém (nem os sãos, nem os doentes, nem os vivos, nem os mortos), e também por transmitir a alguns dos nossos jovens, os dons do Divino Espírito Santo.”
Com a presença de Vossa Excelência Reverendissima entre nós, nestes 3 dias, todos vimos e sentimos, nos olhos e no coração, a sabedoria de um mestre, a segurança de um pastor, os cuidados de um pai, a ternura de uma mãe e a proximidade de um amigo. Bem-haja.

Lido pelo pároco um pequeno relato ou ata da Visita, exarado no “Livro de Honra das Visitas Pastorais”, documento assinado pelo Senhor Bispo, pelos Senhores Vigário Geral e Pró-Vigário Geral e pelo Pároco, organizou-se uma grande e significativa procissão ao Cemitério Paroquial, onde Sua Excelência Reverendíssima orou pelos falecidos da comunidade e deu a toda a assembleia a bênção final com que se concluiu a Visita Pastoral.

A paróquia de S. Miguel de Anreade fica eternamente grata por tão honrosa visita, que foi mais uma bênção especial de Deus para toda a comunidade paroquial.
Bem-haja, Senhor Bispo.


José Dias Gabriel

DIA DE S. JOSÉ, DIA DOS PAIS

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 09:35

SOLENIDADE DE S. JOSÈ
Patrono da Igreja Católica
Modelo dos pais de família



A Igreja Católica evoca anualmente, a 19 de março, a figura de São José, patrono da Igreja universal, que o Papa Francisco tem recordado como “exemplo de vida humilde e discreta”.
Este ano, por ter coincidido o dia 19 de Março com o III Domingo da Quaresma, não se pôde celebrar esta solenidade no seu dia. mas, como é tão importante, celebra-se no dia de hoje.
O pontificado do Papa iniciou-se precisamente no dia 19 de março, em 2013, e o Papa apresentou-o então São José como “«guardião», porque sabe ouvir a Deus, deixa-se guiar pela sua vontade e, por isso mesmo, se mostra ainda mais sensível com as pessoas que lhe estão confiadas, sabe ler com realismo os acontecimentos”.
Em 2014, no mesmo dia, Francisco disse que São José é o modelo de “educador” e de “papá” para todos os pais do mundo.
Em entrevistas e encontros com fiéis, o Papa tem confessado a sua devoção particular por São José.
“Eu gosto muito de São José porque é um homem forte e de silêncio. No meu escritório, eu tenho uma imagem de São José a dormir e, dormindo, ele cuida da Igreja. Quando tenho um problema ou uma dificuldade, escrevo-o num papelinho e coloco-o debaixo de São José, para que ele sonhe sobre isso, ou seja, para que ele reze por este problema”, afirmou em Manila.
A 19 junho de 2013, o nome de São José foi inserido nas Orações Eucarísticas II, III e IV do Missal Romano através de um decreto emitido pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.
A decisão de acrescentar esta referência na principal oração da celebração da missa justifica-se, de acordo com a Santa Sé, “pelo seu lugar singular o projecto da nossa salvação, já que exerceu a função de pai de Jesus e guardião da família de Nazaré”.
“São José de Nazaré, colocado à frente da Família do Senhor, contribuiu generosamente na missão recebida na graça e, aderindo plenamente ao início dos mistérios da salvação humana, tornou-se modelo exemplar de generosa humildade, que os cristãos têm em grande estima, testemunhando aquela virtude comum, humana e simples, sempre necessária para que os homens sejam bons e fiéis seguidores de Cristo”, assinala o documento.
São José foi desde cedo apresentado pela Igreja Católica como símbolo e exemplo de pai e de trabalhador, estando por isso associado à celebração do ‘Dia do Pai’.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O meu abraço de parabéns a todos os pais do mundo.
Que S. José interceda por todos: pelos que ainda estão cumprindo a sua missão de educadores dos filhos e de guardiões da sua casa, e pelos que já partiram e ainda não se encontram na presença do Senhor. 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Imagem: 
---Foto da nova imagem de S. José, da igreja de Anreade, ontem benzida com toda a solenidade pelo senhor bispo da diocese de Lamego que esteve connosco em Visita Pastoral, acompanhado pelo senhor Vigário Geral, Mons. Joaquim Dias Rebelo e pelo senhor Pró-Vigário Geral, Pe. Dr. João Carlos da Costa Morgado.

SOLENIDADE DE S. JOSÉ

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 09:29

20. Março. 1017

PENSAMENTOS DO DIA


São José, que fez as vezes se pai do Senhor Jesus Cristo e foi verdadeiro esposo da Rainha do mundo e Senhora dos Anjos, foi escolhido pelo Eterno Pai para guarda fiel e providente dos seus maiores tesouros: o Filho de Deus e a Virgem Maria, e fidelissimamente desempenhou este ofício; por isso lhe disse o Senhor: Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor.
Consideremos São José diante de toda a Igreja de Cristo: não é acaso ele o homem eleito e singular, por meio do qual e sob o qual, de modo ordenado e honesto, se realizou a entrada de Cristo no mundo? Se portanto toda a Santa Igreja é devedora à Virgem Mãe, porque por meio dela recebeu Cristo, assim também, logo a seguir a ela, deve a São José uma singular gratidão e reverência.
Ele é na verdade o termo da Antiga Aliança, nele a dignidade dos Patriarcas e dos Profetas alcança o fruto prometido.
Ele é o único que realmente alcançou aquilo que a divina condescendência lhes tinha prometido. E não devemos duvidar que a intimidade, a reverência e a sublime dignidade que Cristo lhe tributou, enquanto procedeu na terra como filho para com seu pai, decerto também lha não negou no Céu, mas antes a completou e consumou.
Por isso não é sem motivo que o Senhor lhe diz: Entra na alegria do teu Senhor. De facto, apesar de ser a alegria da bem-aventurança eterna que entra no coração do homem, o Senhor prefere dizer-lhe: Entra na alegria, para insinuar misteriosamente que a alegria não está só dentro dele, mas o circunda de todos os lados e o absorve e submerge como abismo sem fim.
Lembrai-vos de nós, São José, e intercedei com as vossas orações junto do vosso Filho; tornai-nos também propícia a Virgem vossa Esposa, que é a Mãe d’ Aquele que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo pelos séculos sem fim. Amen.
(Texto retirado dos Sermões de S. João Damasceno, séc. XV)

PALAVRAS DE DEUS (III Domingo da Quaresma - Ano A)

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 14:21

III DOMINGO DA QUARESMA – ANO A

LEITURA I – Ex 17,3-7
Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias,
o povo israelita, atormentado pela sede,
começou a altercar com Moisés, dizendo:
«Porque nos tiraste do Egipto?
Para nos deixares morrer à sede,
a nós, aos nossos filhos e aos nossos rebanhos?»
Então Moisés clamou ao Senhor, dizendo:
«Que hei de fazer a este povo?
Pouco falta para me apedrejarem».
O Senhor respondeu a Moisés:
«Passa para a frente do povo
e leva contigo alguns anciãos de Israel.
Toma na mão a vara com que fustigaste o rio
e põe te a caminho.
Eu estarei diante de ti, sobre o rochedo, no monte Horeb.
Baterás no rochedo e dele sairá água;
então o povo poderá beber».
Moisés assim fez à vista dos anciãos de Israel.
E chamou àquele lugar Massa e Meriba,
por causa da altercação dos filhos de Israel
e por terem tentado o Senhor, ao dizerem:
«O Senhor está ou não no meio de nós?»

SALMO RESPONSORIAL – SALMO 94 (95)
Refrão: Se hoje ouvirdes a voz do Senhor,
não fecheis os vossos corações.
Vinde, exultemos de alegria no Senhor,
aclamemos a Deus nosso salvador.
Vamos à sua presença e dêmos graças,
ao som de cânticos aclamemos o Senhor.
Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
Pois Ele é o nosso Deus
e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho.
Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:
«Não endureçais os vossos corações,
como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,
onde vossos pais Me tentaram e provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras.

LEITURA II – Rom 5,1-2.5-8
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos:
Tendo sido justificados pela fé,
estamos em paz com Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo,
pelo qual temos acesso, na fé,
a esta graça em que permanecemos e nos gloriamos,
apoiados na esperança da glória de Deus.
Ora, a esperança não engana,
porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações
pelo Espírito Santo que nos foi dado.
Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores.
Dificilmente alguém morre por um justo;
por um homem bom,
talvez alguém tivesse a coragem de morrer.
Deus prova assim o seu amor para connosco:
Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores.

ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO – cf. Jo 4,42.15
Refrão 1: Louvor e glória a Vós, Jesus Cristo, Senhor.
Senhor, Vós sois o Salvador do mundo:
dai-nos a água viva, para não termos sede.

EVANGELHO – Jo 4,5-42
Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, chegou Jesus a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, junto da propriedade que Jacob tinha dado a seu filho José, onde estava a fonte de Jacob.
Jesus, cansado da caminhada, sentou Se à beira do poço.
Era por volta do meio-dia.
Veio uma mulher da Samaria para tirar água.
Disse lhe Jesus: «Dá Me de beber».
Os discípulos tinham ido à cidade comprar alimentos.
Respondeu Lhe a samaritana:
«Como é que Tu, sendo judeu, me pedes de beber, sendo eu samaritana?»
De facto, os judeus não se dão com os samaritanos.
Disse lhe Jesus:
«Se conhecesses o dom de Deus e quem é Aquele que te diz: ‘Dá Me de beber’,
tu é que Lhe pedirias e Ele te daria água viva».
Respondeu Lhe a mulher:
«Senhor, Tu nem sequer tens um balde, e o poço é fundo: donde Te vem a água viva?
Serás Tu maior do que o nosso pai Jacob,
que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu, com os seus filhos a os seus rebanhos?»
Disse Lhe Jesus:
«Todo aquele que bebe desta água voltará a ter sede. Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede: a água que Eu lhe der tornar se á nele uma nascente que jorra para a vida eterna».
«Senhor, suplicou a mulher dá me dessa água, para que eu não sinta mais sede
e não tenha de vir aqui busca-la». Vejo que és profeta.
Os nossos pais adoraram neste monte
e vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar».
Disse lhe Jesus:
«Mulher, podes acreditar em Mim:
Vai chegar a hora em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.
Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vai chegar a hora – e já chegou –
em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito a verdade, pois são esses os adoradores que o Pai deseja.
Deus é espírito e os seus adoradores devem adorá l’O em espírito e verdade».
Disse Lhe a mulher:
«Eu sei que há de vir o Messias,isto é, Aquele que chamam Cristo. Quando vier há de anunciar nos todas as coisas».
Respondeu lhe Jesus:
«Sou Eu, que estou a falar contigo».
Muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus,por causa da palavra da mulher.
Quando os samaritanos vieram ao encontro de Jesus,
pediram Lhe que ficasse com eles. E ficou lá dois dias.
Ao ouvi l’O, muitos acreditaram e diziam à mulher:
«Já não é por causa das tuas palavras que acreditamos.
Nós próprios ouvimos e sabemos que Ele é realmente o Salvador do mundo».

REFLEXÃO
Os textos deste Domingo têm como tema a água.
1.---- Na primeira leitura, conta-se-nos como Deus, no deserto, saciou milagrosamente com água nascida de um rochedo, a sede do Povo que tirara da escravidão do Egipto.
2.---No Evangelho, o evangelista João conta-nos uma bela história de amor que, há uns anos atrás, um estudante de Coimbra aproveitou para escrever e cantar uma das mais belas baladas que se conhecem, ainda que distorcendo-lhe o sentido.
3. ---Nessa história, conta-se que Jesus esperou junto do Poço de Jacob, em Sicar, que chegasse uma mulher para tirar água do poço. A maior sede da mulher não era de água natural, mas de outra água a que Jesus chamou “água viva que jorra para a vida eterna”.
4.---A sede da mulher da Samaria, é a nossa sede. A verdadeira sede dela era uma sede de paz, de amor, de felicidade. É também a nossa sede. Como ela, também nós vamos bebendo aqui e ali, numa fonte e na outra, por vezes até em fontes de águas podres, e continuamos com sede. Nunca estamos verdadeiramente satisfeitos.
5.---Com a esperou e ela, também nos espera a nós, quando e onde menos o esperamos: às vezes nas nossas dores, às vezes nas nossas quedas, às vezes nos nossos fracassos, às vezes nas nossas solidões. Ele também quer dar-nos a água viva – a única que pode saciar as nossas sedes.
6.---A este propósito, dizia S. Agostinho: “Criastes-nos para Vós, Senhor, e o nosso coração anda inquieto enquanto não repousa em Vós”.
7.---Não nos iludamos. Só Ele, na verdade, consegue satisfazer o nosso desejo mais profundo de uma vida com sentido, com amor, com paz e com felicidade para sempre.
8.---Procuremos sempre, de modo especial neste tempo santo da Quaresma, essa Fonte de Água Viva: numa Palavra mais abundante; numa Oração mais atenta; numa Caridade mais diligente; nos Santos Sacramentos Pascais (onde Jesus nos acolhe, nos abraça, nos perdoa, nos lava, nos abençoa, nos sacia, nos alimenta e nos salva.
Não tenhamos dúvida que assim é. Só Deus nos sacia. Só o amor nos salva.
Santa Quaresma para todos.

PROGRAMA DA SEMANA (19 a 26 / 03 / 17)

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 14:14

PARÓQUIA DE S. MIGUEL DE ANREADE
PROGRAMA DA SEMANA de 19 a 26 de Março de 2017

INTENÇÔES DE MISSA                                       HORA                                                     
SEGUNDA - FEIRA: ----- SOLENIDADE DE S. JOSÉ -----
  ---Por Eduardo Alexandre ----Por Manuel Ribeiro e filho ------Por António Correia ------Por António Pinto Monteiro
 ---Por António Pereira ------Por Albino de Almeida Truta 
  ---Por Pe. Adelino Teixeira ------Por Valdemar Alves, pais e sogros  ----Por José Pinto, pais e genro                
                    ----Por Celeste Colaço e irmã, Laurinda.            
17,30
TERÇA – FEIRA: ---Por Adelaide Coelho
                      ---Por Álvaro de Sousa e familiares
 ---Por Manuel Roque, filha e genro e Rui Amaral e pais
                        --- Por Valentim Correia e sogros                 
17,30
QUARTA - FEIRA : --Por Maria José Félix e irmãs
                      ---Por Fernando Cardoso e família
                   ----Por António Ribeiro de Moura
                         ---Por Alzira Ferreira
                         ---Por Rosa Maria e Rosa Barbosa
17,30
QUINTA – FEIRA:  ---Por José Mendes, Adelaide e fam.
                               ---Por Manuel Pinto, esposa e genro
                             
17,30

 SEXTA – FEIRA: ---Por António Loureiro Machado
             ---Por Leonor de Jesus, marido e filho
                               ------ DIA DE ABSTINÊNCIA ------
17,30
SÁBADO: ---Por Adelaide Cardoso, do Outeiro
                 ---Por Adão Pereira e esposa
                 ---Por Joaquim Rabaça, esposa e filho
17,30

OUTRAS  ACTIVIDADES E CELEBRAÇÕES :

-Missa Paroquial ......... Domingos……………………..10,30  horas
-Missa Vespertina.................Sábado............................17,30 horas
-Catequese Paroquial ……..Domingos …………………..9,30 horas
-Comunhão aos Idosos e Doentes.......Domingos…….11,15 horas
-Recitação do Santo Terço ……..……todos os dias, às 17,10 horas

VISITA PASTORAL DO SENHOR BISPO DE LAMEGO Á PARÓQUIA

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 03:42

VISITA PASTORAL DO SENHOR BISPO DA DIOCESE
D. ANTÓNIO JOSÉ DA ROCHA COUTO
À PARÓQUIA DE S. MIGUEL DE ANREADE

EM 17, 18 E 19 DE MARÇO DE 2017


PROGRAMA DA VISITA, planeado pelo Conselho Pastoral

-Dia 17: ---Visita aos doentes e acamados da paróquia, concluindo-se com um pequeno encontro com a população de Aregos, na capela de Santa Maria Madalena
               Horas: das 14,30 às 18, 30 

-Dia 18: ---Das 9 às 12,30 – Confissões Pascais, com a presença dos sacerdotes da zona pastoral de Resende
                ---Das 16,30 às 19 ---Encontros do senhor Bispo com as instituições da freguesia e com as pessoas mais comprometidas na vida da paróquia.
 Horário previsto 
        --às 16,30 h – Encontro com o Rancho Folclórico
        --às 16, 45 – Encontro com a Junta de Freguesia
        --às 17 – Encontro com as crianças da Catequese
        --às 17,30 – Encontro com os crismandos
        --às 18 – Assembleia Paroquial, com a presença e a participação dos cristãos comprometidos na pastoral da paróquia. 

  -Dia 19 – Encontro do senhor Bispo com toda a paróquia.
              - 15 h . – Recepção no adro da igreja, celebração da Eucaristia e administração do Santo Crisma, leitura e assinaturas da acta, no "Livro de Honra das Visitas Pastorais".
                    - Visita ao cemitério com toda a comunidade cristã, com oração de sufrágio e memória pelas almas dos falecidos da paróquia.

O Bispo é o Pai que vem confirmar os seus filhos na Fé! É o Pastor que vem guiar as suas ovelhas pelos caminhos da Salvação! É o Mestre que vem ensinar aos seus discípulos a doutrina da Vida! É o Amigo que nos vem animar na nossa caminhada cristã. 

Com a sua vinda, vem até nós a sabedoria de um mestre, a segurança de um pastor, os cuidados de um pai, a ternura de uma mãe, e a proximidade de um amigo. 

BEM-VINDO, SENHOR BISPO.

PALAVRAS DE DEUS ( II Domingo da Quaresma - ano A)

Publicada por Correia Duarte | Etiquetas: | Posted On at 11:49

II DOMINGO DA QUARESMA – ANO A
– 12 de Março de 2017--

LEITURA I – Gen 12,1-4
Leitura do Livro do Génesis
Naqueles dias, o Senhor disse a Abrão: «Deixa a tua terra, a tua família e a casa de teu pai e vai para a terra que Eu te indicar. Farei de ti uma grande nação e te abençoarei; engrandecerei o teu nome e serás uma bênção. Abençoarei a quem te abençoar, amaldiçoarei a quem te amaldiçoar; por ti serão abençoadas todas as nações da terra». Abrão partiu, como o Senhor lhe tinha ordenado.
Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL – SALMO 32 (33)
Refrão 1: Esperamos, Senhor, na vossa misericórdia.

A palavra do Senhor é recta,
na fidelidade nascem as suas obras.
Ele ama a justiça e a rectidão:
a terra está cheia da bondade do Senhor.

Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem,
para os que esperam na sua bondade,
para libertar da morte as suas almas
e os alimentar no tempo da fome.

A nossa alma espera o Senhor:
Ele é o nosso amparo e protector.
Venha sobre nós a vossa bondade
porque em Vós esperamos, Senhor.

LEITURA II – 2 Tim 1,8b-10
Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo
Caríssimo: Sofre comigo pelo Evangelho, apoiado na força de Deus. Ele salvou-nos e chamou-nos à santidade, não em virtude das nossas obras, mas do seu próprio desígnio e da sua graça. Esta graça, que nos foi dada em Cristo Jesus, desde toda a eternidade manifestou-se agora pelo aparecimento de Cristo Jesus, nosso Salvador, que destruiu a morte e fez brilhar a vida e a imortalidade, por meio do Evangelho.
Palavra do Senhor.
 EVANGELHO – Mt 17,1-9
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João seu irmão e levou os, em particular, a um alto monte e transfigurou Se diante deles: o seu rosto ficou resplandecente como o sol e as suas vestes tornaram se brancas como a luz. E apareceram Moisés e Elias a falar com Ele. Pedro disse a Jesus: «Senhor, como é bom estarmos aqui! Se quiseres, farei aqui três tendas: uma para Ti, outra para Moisés a outra para Elias». Ainda ele falava, quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra e da nuvem uma voz dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência. Escutai O». Ao ouvirem estas palavras, os discípulos caíram de rosto por terra a assustaram se muito. Então Jesus aproximou se e, tocando os, disse: «Levantai vos e não temais». Erguendo os olhos, eles não viram mais ninguém, senão Jesus. Ao descerem do monte, Jesus deu lhes esta ordem: «Não conteis a ninguém esta visão, até o Filho do homem ressuscitar dos mortos».
Palavra da Salvação.
REFLEXÃO:
No segundo Domingo da Quaresma, a Palavra de Deus indica o caminho que o verdadeiro discípulo de Cristo deve seguir: o caminho da escuta atenta de Deus e dos seus projectos, e da obediência total e radical aos planos do Pai.

1.---A primeira leitura apresenta-nos a figura de Abraão. Abraão é o homem de fé, que vive numa constante escuta de Deus, que sabe ler os seus sinais, que aceita os apelos de Deus e que lhes responde com uma obediência exemplar, e com um entrega absoluta e confiada. Ele é o modelo do crente que acolhe o projecto de Deus e o segue sem subterfúgios e sem calculismos.

2.---Na segunda leitura, há um apelo aos seguidores de Jesus, no sentido de que sejam, de forma generosa e empenhada, as testemunhas do projecto de Deus no mundo.
 O texto proclamado é uma exortação de Paulo a Timóteo, convidando-o a superar a sua juventude, a vencer a sua timidez e a ser um modelo de fidelidade e de fortaleza no testemunho da fé, sejam quais forem as dificuldades.
3.----O Evangelho relata a transfiguração de Jesus. Recorrendo a elementos simbólicos do Antigo Testamento, o autor apresenta-nos uma catequese sobre Jesus - o Filho amado de Deus - que vai concretizar o seu projecto libertador em favor dos homens, através do dom da vida. Aos discípulos, desanimados e assustados, Jesus diz sem palavras
- A entrega da vida não conduz ao fracasso, mas antes à vida plena e verdadeira.
Esta apresentação tem como destinatários os discípulos de Jesus - um grupo desanimado e frustrado porque, no horizonte próximo do seu líder, está a cruz. Cruz que o Mestre levará com fidelidade, generosidade e amor, pedindo aos seus discípulos que aceitem percorrer um caminho semelhante. Caminho de dor e sofrimento que aponta para a ressurreição, aqui anunciada pela glória de Deus que se manifesta em Jesus, pelas vestes resplandecentes. Jesus pretende mostrar-lhes que a cruz não será a palavra final, pois no fim do caminho de Jesus (e, consequentemente, dos discípulos que seguirem Jesus) está a ressurreição, a vida plena, a vitória sobre a morte.
4.--- Este encontro tão especial com Jesus marcou para sempre os apóstolos Pedro, Tiago e João, que viriam a ser as “colunas” da Igreja. Eles precisaram deste encontro com Jesus elevado no alto e resplandecente de luz e de beleza, já que, passados dias ou meses, estariam com Jesus no Jardim das Oliveiras, a ver Jesus ser preso e maltratado, para logo a seguir ser torturado e condenado à morte, e isso seria para eles uma total desilusão.
5.----Também nós temos necessidade de ter um encontro pessoal com Jesus que nos marque para sempre. O senhor Bispo de Aveiro disse na 5ª feira que “não há vida cristã sem a descoberta pessoal de Cristo”. Como O podemos  seguir, se não O  conhecemos a Ele, nem os caminhos que Ele seguiu, nem os passos que Ele correu? Tal encontro acontece em momentos de oração, de meditação e de silêncio, e, acima de tudo, na Santa Eucaristia, se a celebramos com verdadeiro amor e com empenhada devoção. Só assim ganharemos uma fé capaz de compreender as agonias da vida e os silêncios de Deus, e uma esperança capaz de nos fornecer a alegria e a beleza da nossa vida cristã. Foram encontros desses que fizeram os grandes profetas e os grandes santos.
6.----Como podemos nós fazer da nossa vida uma estrada de luz que nos leva até à Páscoa? A resposta é oferecida pela voz que veio do alto: “Este é o meu Filho, escutai-o”. O primeiro passo para se ser contagiado pela beleza de Deus é a escuta. É dar tempo e coração ao seu Evangelho.